domingo, 31 de julho de 2011

Final de temporada

Foi para mim um final de temporada em beleza mesmo sem qualquer captura.

Não eram muito importantes as capturas,embora fosse para isso que eu e um bom amigo,que começa a já ser habitual nestas andanças,visitamos o grande rio Minho.

Confesso que à já largos anos não o visitava,talvez à mais de 10!Não porque não goste ou não tenha tido oportunidades,mas porque sou mais amante de rios de montanha e paisagens mais agrestes.

Não me surpreendeu não haver um único um toque,pois pescamos debaixo de um calor abrasador e com a companhia de grandes botes a descer o rio cheios de jovens,uns dentro deles,outros  a acompanhar-los a nado,tornando praticamente impossível manter as trutas activas ou mesmo nas suas posturas habituais.

Depois de um monumental almoço servido ao ar livre pelo meu amigo e companheiro de outras aventuras, o Comandante Nuno Macedo,de Amares,no parque de merendas de Merufe(Monção)tínhamos em mente mais uma visita"de cortesia"ao mítico Mouro.O meu companheiro,que é um grande perito em pesca ao spinning,lá ficou no seu local de eleição,romando eu a montante para fazer  a uma série de açudes em busca de  alguma truta distraída que quisesse morder uma efémera ou tricopetero.Os resultados foram os mesmos  da parte da manhã....nada.Muitos veraneantes,muita agitação nas já calmas águas do Mouro,tiraram qualquer expectativa de capturas.

Por fim estava reservado um já habitual jantar no http://www.restauranteponteneiva.com onde participaram cerca de 35 pessoas,muitas delas pescadores,com quem já pesquei à longos anos,e alguns amigos das concertinas.Não faltaram os tradicionais cantares ao desafio,fados,viras e canas verdes com gente muito conhecida nestas andanças da  musica popular,com quem tenho grandes amizades.



 

quarta-feira, 20 de julho de 2011

O feitiço da pesca das trutas


No recente convívio realizado no passado dia 9,todos os presentes ficaram de boca aberta ao ver chegados 2 jovens irmãos,na casa dos 20 anos,oriundos de Guimarães.Isto porque  eles não faziam ideia que os rios truteiros,e não só,não podem ser percorridos de chinelos e calções de praia.

Não se intimidaram,nem ficaram envergonhados ao lado de pescadores com várias décadas de experiências na pesca de trutas,antes pelo contrário,tentaram logo fazer a apresentação e serem modestos ao comentar que tudo era novidade para eles.

De facto alguém lhes tinha incutido um feitiço que terão de carregar pela vida fora,pois que começa na pesca às trutas nunca mais perde a paixão,mesmo que a vida por vezes nos leve a não poder pratica-la.

Não tiveram receio e foram destemidos,pescaram à colher,de chinelos e calções,sem boné ou chapéu,por entre silvas,urtigas,chuva e vento.Enquanto todos nos nos lambuzava-mos com os petiscos,eles continuaram à chuva a pescar.

Todos os presentes ficaram com um enorme sentimento de felicidade por verem a paixão e dedicação de quem podia naquele dia estar no conforto dos seus lares ou viver coisas proprias das suas idades-um raro exemplo de uma juventude saudável!

Em nome de todos os pescadores que estiveram presentes no convívio,um palavra de incentivo a estes 2 bravos jovens-continuem,respeitem o meio ambiente,respeitem as medidas legais e o numero de capturas,e já agora uma recomendação pessoal,comessem a pescar sem morte....

domingo, 17 de julho de 2011

Por terras do Barroso/Serra da Cabreira

Com época praticamente no fim,é altura de fazer as ultimas investidas pelos míticos rios que ainda mentem um razoável caudal.

Este é também ainda um daqueles rios em que a pressão de pescadores exercida sobre ele não é muita e por via disso,entre outros factores,mantém uma razoável população truteira  albergando mesmo alguns bons exemplares.

Visito-o durante a época 2,3 vezes obtendo sempre bons resultados.Foi o que aconteceu na passada quinta feira percorrendo uma garganta  com cerca de 2000 m.


 O resultado da jornada,só da parte da tarde,foi das melhores pescarias desta época com algumas trutas acima dos 22 a 25 cm e um festival de trutas falhadas,muitas delas de bom porte,felizmente só uma partiu o baixo 0,12 por aselhice minha....


 Uma das que foi servida na ementa, com excelentes resultados.Foi montada  ao acaso,sem eu sequer saber o que imita...pura sorte....

O preto funcionou na perfeição......
 
O trilho em direcção ao rio....15 minutos por entre paisagens sublimes...


quinta-feira, 14 de julho de 2011

Pela serra do Barroso

Uma curta visita à serra do Barroso,na companhia de um bom pescador à pluma mas também ,a cima de tudo,um bom amigo....
 As características trutas do Barroso,muito escuras e grandes pintas alaranjadas...uma beleza!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

1ºEncontro/convívio -Trutas.pt/Ninja Matrix/Trutas e Serras

O objectivo era simples,a interacção entre estes três
 bloguistas juntamente com alguns dos habituais comentadores,em ambiente de fraterno convívio.

Compareceram cerca de  12 pessoas oriundas de vários pontos do País e nas mais variadas modalidades.

Com o Alfusqueiro como pano de fundo,todos nós podemos por em pratica as modalidades que nos distingue.
As capturas não eram prioridade,mas mesmo assim houve algumas,eu pessoalmente não tive nenhuma ou
mesmo qualquer ataque,o que não admirava,pois a tábua que estava a pescar já tinha sido percorrida à colher.

E porque também somos aquilo que comemos,ao pic-nick não faltaram as boas postas de carne Barrosã,Lafões,leitão assado,uma broa divinal,pasteis de Vouzela(excelentes...e a aí representação da C.M.fez jus à fama deste fabulosos pasteis) e tudo isto regado com vinho da região...muito bom...não faltou o verde branco e tinto...enfim,estava tudo controlado pois estávamos acompanhados e  vigiados por dois médicos cirurgiões de renome,caso fizesse falta era-mos assistidos ali mesmo(lol).      

Tivemos oportunidade de discutir os vários pontos de vista à cerca da pesca de trutas,o que distingue pescar com ou sem morte,a problemática da poluição,que afecta muitos dos nossos rios,os reparos ao não cumprimento dos respectivos cadernos de encargos a que a concessões estão obrigadas a cumprir nomeadamente na limpeza das margens,fiscalização,sinalética e informação etc...alguma conversa sobre o actual situação politica deste pobre País,pois ao encontro não faltaram alguns governantes de renome inclusive um ex ministro da agricultura,entre outros.

Por fim,relembrar que este encontro esteve com inscrições abertas(gratuitas) nos três blogs onde podia participar qualquer pescador,desde que se inscrevesse.Não foi um encontro de uns quantos,nem tão pouco discriminativo,mas sim  de quem quis conhecer e interagir em cordial convívio...foram sem sombra de duvida atingidos os objectivos...para o ano haverá a 2ª edição,desta vez no Alto Minho.
Obrigados a todos!
Algumas imagens do dia...




sábado, 9 de julho de 2011

De regresso ao coração da serra

Com a temporada de pesca a terminar é altura de regressar de novo à serra.

Confesso que desde Fevereiro que não fazia uma caminhada com os meus habituais companheiros de montanha,embora convites por parte deles não tenham faltado,mas o tempo disponível tem sido dedicado ás trutas.

O objectivo estava traçado;uma incursão pelas entranhas do Gerês profundo em busca de novas paisagens ,a visita e levantamento de uma antiga exploração mineira de volfrâmio escondida algures,silenciada pelo passar das décadas.

A caminhada começou bem e os primeiros quilómetros fizeram-se com a ameaça de chuva,que acabou por chegar,obrigando-nos a fazer um regresso antecipado.

Mesmo assim,e como fundo paisagens sublimes,mas já conhecidas do trio,aproveitamos para uma visita a uma outra exploração mineira  muito pouco conhecida incrustada numa das mais bonitas zonas da Serra.

Algumas fotografias do dia.....










   

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Ataques ao Blog

Depois de ler alguns comentários vejo-me obrigado a defender a minha honra e honestidade perante duvidas deixadas nos comentários dos conteúdos publicados neste blog.


Tenho vindo a ser acusado de desonestidade e tentar enganar os leitores a traves de  fotografias repetidas(ou mesmo de não serem da minha autoria),de ser arrogante,prepotente  e não aceitando de bom grado alguns comentários técnicos que visavam apenas o melhoramento desta espaço.


Sou acusado de novato e sem experiência na pesca de pluma e dar opinião de coisas que não sei ou opino sem rigor técnico.




Reconheço que num recente  comentário que o  Sr Ricardo fez num dos recentes posts tive vários erros de apreciação,justamente na resposta,mesmo assim nunca visei a pessoa em causa,apenas comentei o conteúdo dando a minha opinião e  nunca me passou pela cabeça ofender o moral da pessoa em causa!


A  final a quem incomodo?a pessoas que escondem por de trás de uma identidade?então isso é que é ser honesto?tem provas daquilo que afirmam?

 Não aceito a apreciação feita  à cerca do levantamento do património truteiro do Ramiscal.Esse convite foi aceite tanto por mim como pelo Bloghttp://carris-geres.blogspot.com não havendo desenvolvimento do promotor.


Por fim um aviso;comentários que não respeitem a ideologia do autor dos posts ou visem  ataques pessoais a coberto de uma identidade não serão publicados,sou pessoa de respeito e  com princípios,nunca metendo o rosto de baixo da areia para fugir à minha responsabilidade e para tal identifico-me com nome e registo verdadeiros!




     
Alguns destes recentes comentários,



Truta deixou um novo comentário na sua mensagem "Pescarias":

É pá, você é um espetáculo!
Segundo as descrições das suas pescarias, sempre à "seca" e a qualquer hora do dia, em quaisquer condições atmosféricas e em qualquer dia da temporada... nunca faz "grades"... de facto as suas moscas (que segundo você são toscas e sempre montadas apenas em CDC), devem ser moscas todo-o-terreno... pescam trutas à superfície mesmo quando elas estão a comer ninfas... fantástico!
Já pensou em fotografar essa preciosidades? Mais. Já pensou em comercializá-las?!
Já agora. Seria bom que inserisse a função na máqina fotográfica da data em que elas são feitas, para termos a ceteza que as fotografias não são repetidas e que fozesse fotos de todas as capturas para termos a certeza que é verdade o que aqui diz


Truta deixou um novo comentário na sua mensagem "Final de tarde no Rio Lima":

Afinal, foram 6 ou 7? Mas só vejo fotografia de 1. E o 0,12 não se terá desprendido porque os nós estavam mal feitos ou pouco apertados?!

  • E já agora... consigo quem é que, habitualmente, faz a acção de cravar?! É o pescador ou a truta?! 
Truta deixou um novo comentário na sua mensagem "Alto do Rio Mouro":

Com que então não publicou nenhum post referente à pescaria que entretanto fez no Neiva, depois do Mouro, e acompanhado do "trutas.pt", porquê?! Porque fez grade ou porque fez, novamente, grade e tinha uma testemunha que o impedisse de fantasiar?! 

Truta deixou um novo comentário na sua mensagem "Barbos à pluma":

Ó João Ferreira, o seu material de pesca à pluma é mais do que suficiente para pescar barbos de váios quilos. Tem é que usar um baixo-de-linha, uma cauda de rata, uma leader e uma tippet adequadas ao peso dos peixes que corre o risco de pescar... ou então terá de saber usar o seu carreto e a respectiva embraigem, coisa que muitos mosqueiros portugueses não estão habituados a fazê-lo, pois, normalmente, pescam trutas de pequena dimensão que são recolhidas unicamente através do controlo manual da linha de mosca e não com o uso do carreto... aqui em Portugal o entendimento, errado, é que o carreto serve apenas para depositar linha. E cansando e trabalhando o peixe, pode usar terminais mais fracos e apanhar peixes maiores.

E outra coisa, não seja um fundamentalista das plumas secas... se o for corre o risco de pescar muito menos do que gostaria. Se o João Dias tivesse recorrido a ninfas e usasse a técnica da ninfa para montante, a rolada e a checa... não sairia com uma grade de Castelo Banco... 


Truta deixou um novo comentário na sua mensagem "Alto do Rio Mouro":

A PESCA À PLUMA SUSCITA VÁRIAS DIVERGÊNCIAS ENTRE QUEM A PRATICA?! mAS QUAIS DIVERGÊNCIAS?!
A DA PESCA COM OU SEM MORTE?
DEVE ESTAR A CONFUNDIR AS COISAS, POIS TODOS OS MOSQUEIROS QUE EU CONHEÇO SÃO TODOS DEFENSORES DO PESCAR E LARGAR.

A ÚNICA DIVERGÊNCIA QUE AQUI VERIFICO É UNS QUANTOS PESCADORES PEDANTES QUE ESTÃO A DAR OS PRIMEIROS PASSOS NA PLUMA E QUE DÃO ARES DE SEREM JÁ UNS MESTRES.

QUANTO AO POSTADO, QUANDO PERCEBER QUE AS TRUTAS DE MONTANHA NÃO PERMANECEM ETERNAMENTE NO MESMO SÍTIO, MIGRAM DE LOCAL CONSOANTE A TEMPERATURA DA ÁGUA, A QUANTIDADE DE ALIMENTO DISPONÍVEL, E O VOLUME DE CAUDAL... ENTÃO PERCEBERÁ QUE NÃO É POR SÓ TER PESCADO 2 TRUTITAS QUE FICARAM APRESADAS EM CERTOS PEGOS DE MONTANHA QUE PODERÁ DIZER QUE DETERMINADO TROÇO DE RIO ESTÁ MAIS OU MENOS POVOADO.
LEMBRA-SE DAQUELE QUE O CONVIDOU A FAZER UM LEVANTAMENTO SOBRE A POPULAÇÃO TRUTEIRA NO RAMISCAL?! NÃO APRENDEU A SER MAIS HUMILDE NAS SUAS OBSERVAÇÕES OU CONCLUSÕES?!


sexta-feira, 1 de julho de 2011

Alto do Rio Mouro

Pesco à já muitos anos o rio Mouro e nunca o tinha visto com caudais tão baixos nesta época do ano como agora.

Tenho especial predilecção por um troço de montanha que só faço nesta altura do ano.É um troço com  cerca de 3 quilómetros,incrustado na montanha e com um grau de dificuldade elevada,todo ele composto de grandes blocos de granito e gargantas apertadas onde a progressão é difícil e perigosa.

Em questão de trutas era um dos lugares onde se podia ainda fazer meia dúzia ou mais  sem grandes dificuldades.Este ano é a segunda visita que faço ao local.Na primeira pesquei apenas uma e também não vi trutas,fiquei intrigado e pensei que seria um dia mau,teria que confirmar com uma segunda visita.
Bom,quando cheguei ontem verifiquei logo que o rio estava com caudal reduzido(não existem barragens neste rio)pelo que as capturas seriam difíceis nas se elas lá estivessem seriam vistas.Resultado;2 trutas e a confirmação de que este troço está efectivamente despovoado,causas?-possíveis cercos e capturas à mão ou com técnicas ancestrais muito utilizadas por povos locais.
Foi precisamente neste troço que à alguns anos atrás,por meados de mês de Julho,presenciei uma triste cena destas,onde dois indivíduos cercavam as trutas e iam busca-las por de baixo das pedras à mão.Na altura fiquei impotente e limitei-me a abandonar o rio,revoltado,pois ainda não tinha telemóvel nem as câmaras fotográficas eram digitais e abundantes como agora.

Enfim,assim vão morrendo aos poucos os nossos rios....triste mentalidade!

Uma primeira série de fotografias destas fabulosas paisagens...