terça-feira, 28 de agosto de 2012

Final de tarde no Rio Tar

Depois das fortes emoções no rio Annar,do jantar a imitar a  cozinha típica Portuguesa,era tempo de fazer o final do dia em grande e dar as despedidas.

O nosso amigo Philip Maher tinha-nos preparado uma surpresa final que passaria por uma pescaria de cerca de 2 horas num dos seus cotos privados de Salmão no rio Suir.Aliás,logo no primeiro dia de pesca foi precisamente o local a que nos tinha levado mas que acabou por sair frustrado devido ao forte caudal que o rio apresentava.
Finalmente iríamos ter a possibilidade de tentar um ou outro grande Salmão do Atlântico.

Apôs termos consultado um sistema de vídeo on-line instalado nos rios,ele verificou que valeria a pena tentar.
Lá partimos para fazer  cerca de 10 km com as expectativas altas.


Mais uma vez a sorte não esteve do nosso lado,o rio estava a subir e apresentava uma cor barrenta.
Ficamos largos minutos a olhar o rio e com vontade de tentar  mas o Philip aconselhou a abortar e partirmos para outra situação.
Ficamos com pena,mas quem sabe sabe e não havia nada a fazer ou que ficar triste porque a pesca é também a contemplação dos pesqueiros.
(passado alguns dias o Philipi capturou um belo exemplar nesse local)

Rumamos mais alguns(poucos)km e estávamos no rio Tar a pescar na companhia de Cisnes selvagens e rodeados de prados cheios de gado.
                                               Cisnes selvagens com crias
 


Este é um dos maiores rios visitados,logo a seguir ao Suir,de é afluente e onde entram igualmente  alguns Salmões e de que eu pessoalmente mais gostei de pescar.
As condições de caudal eram bem diferentes  das do vizinho,e a escassos km,rio Suir.Este apresentava boas condições de pesca,com águas já claras e a mostrar o seu leito avermelhado.
Já não nos restava muito tempo seriam já 20.30h.
Depois de uma breve conversa com 3 velhos pescadores Franceses,já conhecidos dias atrás,seguimos umas centenas de metros para jusante para um local pecado dias atrás.
                                         é notório a fundo avermelhado do Rio


Viam-se algumas trutas a comer e o resultados não tardaram a aparecer.
Assim pescamos até às 22.45h sempre com boas trutas a subir.
O troféu do dia estaria reservado para mim mesmo ao cair da noite.
Aí a uns vinte metros estava uma truta a comer muito suave,não imaginava eu que  logo à primeira passagem da pequena imitação de efémera ela atacasse.Cravei muito bem,a truta começou aos saltos fora da água e de seguida arranca para jusante.Pescar trutas de bom tamanho nestes rios não é muito complicado pois os rios são muito abertos e sem grandes obstáculos que imprensam trabalhar as trutas.
Passados alguns minutos de luta tinha um belo exemplar do rio Tar a rondar os 800 g
Terminaria assim da melhor forma esta aventura por terras Irlandesas.                                                                                                                  


segunda-feira, 27 de agosto de 2012

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

6º dia

Segunda-feira,6º e ultimo dia de pesca.

As condições meteorológicas tinham melhorado consideravelmente neste ultimo dia com os rios a apresentarem os caudais já próximos do normal para a época,a avaliar pelos relatos dos pescadores locais.

Escolher seria uma decisão difícil pois as  opções eram variadas e todas elas apresentavam  boas perspectivas de um final desta viagem de pesca em grande.

Optamos pele concessão do Fethard & Killusty Angling Club no rio Annar,precisamente na zona em que estivéramos dias atrás e onde encontramos,nesse dia, talvez as piores condições de pesca devido ao elevadíssimo caudal que ele apresentava e sobretudo com águas muito escuras.

Este rio era para o meu amigo um dos que não podia deixar de ser pescado nesta viagem se apresenta-se as mínimas condições,pois tinha em anos anteriores lá feito grandes pescarias.

Chegamos já tarde,cerca das 11.30  e com a concorrência instalada já por perto(pecadores Franceses) que pescavam na zona livre,mesmo junto à concessão.Uma breve troca de impressões deixavam antever mais um mau dia de pesca a avaliar pelo fraco desempenho destes pescadores que tinham passado a manhã toda com apenas algumas capturas.


O rio apresentava já uma boa sequência de correntes embora o seu caudal estaria  muito acima do normal e corria ainda uma coloração barrenta.

Começamos umas centenas de metros para montante -eu primeiro e o António  subiu ainda mais deixando-me uns bons 500 m para pescar.

Comecei com um tanden composto por uma seca #16 Klinkhammer e uma ninfa #16 Pheasant e os resultados não tardaram a aparecer com boas trutas a subir na seca e outras a entrarem bem  na ninfa.
Estava-me a divertir à grande,sozinho,no meio de um rio com uma paisagem fabulosa,com grandes prados envolventes cheios de gado a pastar e com umas montanhas como pano de fundo.


Assim estive sem sair do mesmo sitio mais de 2.50h até que o telefone tocou.Era o António.Insistia que eu fosse ter como ele porque as trutas estavam a comer por todo o lado. Eu ainda insisti que também estava a ter bons resultados mas ele disse que não podia perder esta oportunidade e assistir a este espectáculo.
Bom,quando lá cheguei vejo o António no meio do rio com a água pelo peito e a cravar consequtivamente trutas aos seus pés...e que boas trutas eram,quase todas entre os 30 e 40 cm.Estava a pesca-las à seca com pequenas efémeras #20/#22.


Estive alguns minutos a apreciar antes de entrar no rio.
Entrei com muito cuidado,como mandam as regras,só que a minha presença foi notada pelas trutas que estavam activas muito devido ao António estar à já muito tempo sem se mover.Então começamos a pescar mais largo 10/15 m  e aí as trutas continuavam activas.
Eram já 16.30 e eu tinha a missão de cozinhar para a família em estávamos hospedados.Ora como os hábitos alimentares dos Irlandeses são de jantar por volta das 6 da tarde já não restavam margens para muito mais pesca.

Apôs o jantar estaria reservado o mais interessante final de pesca,a que dedicarei um outro post....
   




sábado, 4 de agosto de 2012

2º Pintonas Serra da Estrela


Decorrerá no próximo dia 25 de Agosto o segundo encontro de Pesca à Pluma no Lagoacho na Serra da Estrela.
Aqui fica o regulamento deste encontro- 



O " laboratório " Concessão de Pesca vai realizar o 2º Pintonas Serra Da Estrela no dia 25 deste mês ( Agosto ) na barragem do lagoacho.
O motivo da escolha desta barragem foi devido ser a que se encontra em melhores condições actualmente ,e tentando mudar de barragem de evento para evento.


REGULAMENTO E INSCRIÇÕES PARA O EVENTO:


1 – Nenhum dos participantes poderá iniciar a actividade de pesca sem que primeiro efectue o
check-in junto da organização.
2 – Os participantes apenas poderão pescar na modalidade de Pesca á Pluma com cana de Pluma
3 – Caso não disponham de plumas montadas em anzóis sem morte os participantes deverão com
uma lima ou alicate eliminar a farpa do anzol
4 – Os participantes poderão pescar por toda a barragem.
5 – A pesca deverá ser feita da margem e não dentro de água. Mesmo com pouca profundidade
6 – Os exemplares capturados, depois de libertados do anzol, deverão ser imediatamente
devolvidos ao seu habitat natural
7 – O dorsal identificativo fornecido deverá ser posto em local
bastante visível.
8 – Os horários definidos no programa deverão ser respeitados.


Preços : Dia de pesca com pequeno almoço 12 euros ( não sócios )
Sócios : Dia de pesca com pequeno almoço 7 euros


Local do CHECK-IN e do pequeno almoço, junto do paredao da barragem.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Lote 2 do Cabreiro

Para mim numa época de pesca às trutas há rios que não posso deixar de fazer pelo menos um passagem, mesmo que seja simbólica.

Assim foi mais uma vez!
O rio Cabreiro é mais um dos mais velhos clássicos desde pesco trutas,é daqueles lugares que me dão uma alegria enorme e ao mesmo tempo uma imensa  nostalgia,principalmente por ver que as minhas capacidades diminuem a cada ano que passa e já não ultrapasso as monumentais gargantas que outrora fizera por variadíssimas vezes.
Pescar este lote sozinho começa a ser uma arriscada aventura que leva aos limites a adrenalina do mais experiente pescador compensada pela exuberante paisagem ainda virgem...um verdadeiro paraíso ainda ao alcance de muito poucas vistas humanas....  


Podia enumerar imensas histórias e pescarias neste "misterioso" rio nos mais de 25 anos que o pesco,como por exemplo; uma violentíssima trovoada que me apanhou a alguns km garganta adentro,valendo-me o refugio de uma abertura  numa formação rochosa,ou ainda a adrenalina de subir,perder a noção do tempo e regressar com a noite  por entre grandes precipícios....

Recordo que este é o famoso rio do Ramiscal e  um dos mais difíceis rios em termos de relevo com o seu vale encaixado numa escarpada montanha com o seus pontos altos nos píncaros do alto da pedrada com cerca de 1400m.



Varias são as lendas que fazem parte deste curso de águas como por exemplo esta ,        
"Em Cabreiro (Arcos de Valdevez) existe uma lenda chamada ''O Velho do Cabreiro'', que conta que sempre que os mais idosos se encontravam inválidos, os filhos pegavam neles e empurravam-nos pelo precipício sobranceiro ao poço de Ola, no rio Cabreiro. Este costume cessou quando o pai de um destes jovens lhe disse para guardar metade do cobertor em que ia enrolado, pois o mesmo iria acontecer com ele. Ele, reflectindo no que estava a fazer, pegou no pai e levou-o para casa."

O seu património truteiro não é muito denso principalmente muito devido ao facto de grande parte do seu leito ser constituído por grandes formações rochosas e correntes rápidas dificultando assim a obtenção de alimento,mesmo assim alberga alguns bons exemplares
Não contabilizei as capturas mas foram acima da dezena,com algumas de bom tamanho,todas elas com mosca seca,sobretudo tricópteros.

Começa a ser cada vez mais raro fazer este troço pelo que aproveitei a oportunidade para obter algumas fotografias e vídeos só que o azar e alguma falta de cuidado fez com que a fotos fossem danificadas pela humidade....estou a tentar recupera-las... 
fotografias©João Dias