quarta-feira, 28 de maio de 2014

Rios saudaveis II
























Rios saudáveis


Felizmente existe ainda alguns(cada vez menos) rios saudáveis e  com razoáveis populações de trutas!São rios selvagens onde a acção do Homem teve ainda pouco impacto ambiental,inseridos num entorno paisagístico ímpar.

Eu conheço alguns.São sobretudo rios e ribeiras pouco conhecidos da maioria dos pescadores,em regra de difícil assexo,encaixados em vales profundos e escarpados.

Alguns são regulados por concessões,outros livres,onde a pesca pode ser exercida com morte do peixe,mesmo assim não deixando de ter uma saudável,embora de reduzidas dimensões,população de trutas.É desses que eu mais gosto e guardo na minha memória a nostalgia dos tempos em que eu era jovem e tinha na minha mente irreverente a ânsia de novas aventuras e essas perdurarão até aos fim dos meus dias.
Alguns deles já não os visito à anos,embora vontade não me tenha faltado,mas o alto risco  de os visitar sozinho impõem  que pondere muito bem.
Não são fáceis,como alias nenhum rio o é,mas quando pescado na altura certa são capazes de encher o ego a qualquer pescador.A sua progressão é um desafio constante ao mais astuto pescador,tais são as dificuldades que  eles impõem a quem os desafia.




segunda-feira, 19 de maio de 2014

Curral do Absedo

Nem só de trutas e pesca se alimenta este blog,também as grandes caminhadas fazem parte integrante da razão da sua existência.

Esta ultima surgiu de surpresa e teve duplo significado pois pretendia-se fazer a despedida dum amigo de alguns anos que está de partida para uma nova vida profissional fora do nosso país,por outro lado,mais pessoal,tentar atingir um dos mais longínquos e misteriosos currais do Gerês;o Absedo.

Portugal  Nature é  já uma referencia para aqueles que se interessam pelos trilhos Gerês,onde o(s) seu(s) autor(es) descrevia(am) com simplicidade,mas com enorme sentido, e nos deliciavam com belas imagens nas suas caminhadas.Esperamos que continue a fazer parte da nossa lista de leitura mas com paisagens bem diferentes como as dos Alpes.

Voltando ao trilho,ele começou nas Lagoas do Marinho(já bem acima dos 1000m alt) subindo ao Borragueiro,passando ao lado de Cidadelhe,para depois se descer então ao mítico Absedo.
Tinham sido já várias as tentativas para alcançar este longínquo curral mas sempre que me proponha lá ir o dia tornava-se curto até porque na alta montanha não se brinca pois uma decisão mais arriscada pode muito bem ser motivo de desorientação e tornar a que a noite caia muito rapidamente.

Este é um lugar cheio de mistérios como estes círculos em espiral de grandes dimensões gravados nas rochas sem explicação para os cientistas que por lá passaram a estudá-los.

Depois outra coisa que pelo menos a mim me intriga é como as gentes de Pincãens percorrem mais de 25 quilómetros para chegar a este pequeno curral.Outro enigma é a forma como ele está divido ao meio por um muro de pedra sem nenhuma entrada.

O regresso foi feito praticamente pelo mesmo trilho da subida até às Lagoas do Marinho para  depois se dar inicio à longa descida para  Pincães.

Mais uma bela surpresa esta descida,com um serie de currais e uma paisagem e para mim desconhecida onde a imensidão da serra é apreciada dum outra perspectiva.

Não podia deixar de sublinhar e ao mesmo tempo agradecer aos companheiros desta caminhada.

         

  

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Lote sem morte da ZPR do Rio Vade

Andava já algumas épocas para lá dar um salto até porque minguem com quem tenho falado conhece ou tenha visitado e as referencias ao lote não são por mim conhecidas.

Por vezes as coisas estão mesmo ao virar da esquina e este pequena ribeira,que me fica a pouco mais de 40 minutos,foi um bela surpresa e uma delicia para  pescar
Pude verificar pela ausência de vestígios de não ter sido pescado nos últimos dias ou até se mesmo esta época,e se o foi,foi de de forma ilegal porque não constam registos nos livros do ICNF. Pareçe-me que ela tenha caído no esquecimento dos plumeiros e é uma jóia a guardar bem guardada embora eu a tenha exortado com este post....espero não estar a cometer um grave erro!

Trata-se do lote 7 da ZPR do Rio Vade,mas não se insere no mesmo rio mas sim dum pequeno afluente na sua margem esquerda.

É um grande desafio pescar este pequeno rio(em muitos sítios tem cerca dum metro de largura),quer pelo seu reduzido caudal,quer pelo seu pequeno tamanho,quer pela a dificuldade em colocar as plumas,devido à grande vegetação,e em muitos locais totalmente fechado por ramadas quer pela astucia das suas bravas trutas que se põem a milhas a dezenas de metros .
É muito bonito,serpenteia ora por entre campos ora a rasgar a serra com gargantas apertadas.


O seu património de trutas pareceu-me muito saudável e abundante principalmente com trutas de bom tamanho para um pequeno rio como este.




Outros dos pontos atractivos para uma visita a este paraíso é o entorno paisagístico,onde uma agricultura de subsistência e  minifúndio é trabalhada ainda de forma artesanal e o colorido de tons  verdes das ramadas contrasta com o amarelo pálido dos centeios e erva molar,já em fase de amadurecimento,não faltando as tradicionais  medas de palha...para mim a pesca é também isto!



     

sábado, 3 de maio de 2014

Uma obra que resultante de muitos anos de pesquisa e investigação de Dantas da Gama sobre a mais imponente das rapinas do PNPG.
Já comprei!e estou ansioso para rever alguns lugares que me são familiares,como por exemplo o mítico Ramiscal onde um casal nidificou durante vários anos....
 O livro pode ser adquirido aqui