segunda-feira, 28 de maio de 2012

Rio Zêzere

À muito,muito tempo,que tenho como objetivo visitar os rios da Serra da Estrela,principalmente os mais relevantes.

Desta vez calhou pescar o Zêzere,em dois troços distintos.O primeiro,numa zona muito perto de Belmonte e o segundo algures já próximo de Manteigas.

Bom,ao longo de vários anos de pesca tenho percorrido dezenas de rios,mas a beleza destes dois troços deixaram-me de boca aberta.
O rio é todo ele muito cristalino,composto de correntes consecutivas,com uma profundidade média de  um metro,o leito composto essencialmente de seixos e xistos,árvores,a conferir-lhe boas sombras...enfim,um paraíso para pescar à pluma.

O dia começou,por volta das 9.30,com a concorrência da amostra já à minha frente.Pouco me importei pois sabia de se esperasse 1 horita as trutas voltariam às suas posturas,e havia ainda que montar o material.

Assim foi,logo nos primeiros lances uma boa truta(mais de 25 cm)subiu e atacou uma pequena efémera,o dia prometia.....as capturas foram se sucedendo.
À medida que ia subindo o rio,mais bonito se afigurava e mais ânimo me dava,mas o compromisso do almoço às 12.30 não me deixaram explorar mais este paraíso.
(Eu continuo a preferir,com as condições meteorológicas instáveis,as horas centrais do dia,e isso mesmo pode mais uma vez confirmar nesta jornada) 
Deste troço registei ainda alguns escalos a atacaram  e também uma pequena população de bogas
Fica ainda o registo da parta da manhã,num poço,de dois barbos monstruosos.

Na parte da tarde era então altura de conhecer novo troço,cerca de 12 km a montante.
Entretanto as condições do tempo mudaram significativamente,com o céu a ficar encoberto e um vento moderado a forte a descer o vale do rio vindo dos píncaros da Serra,que ficavam logo ali ao viras da curva.

O meu vislumbre continuava com esta maravilha,outro troço fantástico,muito parecido com o primeiro,mas com mais poços e correntes lentas.

Não havia nenhuma actividade à superfície,pelo que havia que experimentar umas ninfas.
Não resultou.

Entretanto o vento foi diminuindo de intensidade facilitando assim os lançamentos.
Mais uma vez várias trutas  entraram,mais em tricópteros do que em efémeras.

6 da tarde estava o dia feito e o meu estado de espírito era de enorme satisfação,fazendo esquecer os 300 km de regresso a Viana e a vontade de regressar muito em breve.

Algumas fotografias deste memorável dia....



  
Um agradecimento especial ao meu amigo Mota da Covilhã.   

 
 

sexta-feira, 25 de maio de 2012

quarta-feira, 23 de maio de 2012

II Encontro de bolgues de pescadores de trutas

Ao descarregar um cartão,perdido algures pela minha secretária de trabalho,encontrei estas fotografias captadas  pelo meu amigo Rui de Guimarães no dia do encontro dos pescadores em Merufe com as minhas capturas desse memorável dia.....

terça-feira, 22 de maio de 2012

Por rios da Galiza

À uns meses atrás conheci um guarda florestal Galego,através de um outro amigo,numa caminhada algures pelo planalto de Castro Laboreiro.

Alberto é um grande pescador e conhecedor do rios da Galiza,talvez muito fruto do seu trabalho,pois como referi atrás ,é guarda florestal.
Nessa altura ficou desde logo a promessa de uma visita a um dos muitos rios que serpenteiam as terras da Galiza.
Assim,a promessa cumpriu-se na passada sexta feira com a visita a um lindo rio,lá para os domínios de Verin,o Bibey.

Não vou tecer muitas considerações sobre o local ou o troço visitado,apenas dizer que este  é um rio com águas cristalinas e com bom caudal,sendo isso pretexto para um dia de boas capturas.Porém,há dias dos peixes e dias do pescador e este foi claramente o dia dos peixes,mesmos assim realizaram-se algumas capturas,embora fica-se com a ideia de que no dia certo será um dos destinos a visitar


Não podia deixar de mencionar  a famosa tortilha de bacalhau que o nosso amigo Alberto nos proporcionou para o repasto junto às margens deste belo rio.
  

 Uma das minhas estreias neste rio...belo troféu..não?


sexta-feira, 18 de maio de 2012

Concessão do Rio Olo

Depois de saber que na abertura da época as condições de caudal reduzido e  forte pressão deste lote,o 6,onde era suposto apenas pescarem na modalidade da pluma e que nesse dia foi visto pescador a pescar à colher,deixava-me sem grande vontade de lá ir.

Mas sempre vale a pena ir,quanto mais não seja,para usufruir de um dos mais belos rios em termos de paisagem.
Sempre que é possível Na companhia do Zé Macedo.
Não vou relatar muitos pormenores mas é ainda um bom destino para os mosqueiros....

Há....já me esquecia,quem lá quiser ir e não conheça,experimente subir ao centro de Ermelo e prove a divinal carne que o Restaurante junto da Igreja tem....e o vinho verde tinto,para quem gostar como eu,que sou Minhoto de gema e não nego e finalize o repasto com um licor caseiro que levanta os mortos...

Algumas...poucas fotografias,
    


quinta-feira, 17 de maio de 2012

Rios ocultos

Há um pequeno ribeiro,na vertente sul da serra D´Arga,muito pouco conhecido,mas que alberga algumas bonitas trutas.
Não é muito fácil de pescar devido ao seu coberto vegetal e por isso mesmo é que ainda mantém uma razoável população de trutas....

segunda-feira, 14 de maio de 2012

De volta aos míticos lotes

Depois de dias de muita chuva chega finalmente alguma calmaria.
Pretexto para uma jornada de pesca,mais uma vez na companhia do meu amigo Zé Macedo.
Depois de algumas peripécias na obtenção das licenças diárias lá se começou a pescar já tarde,cerca das 10.30h.
A manhã não se mostrou muito produtiva e as trutas teimavam em não entrarem às ninfas.
A tarde foi muito diferente,enquanto o Macedo tirava boas trutas com ninfa,eu tentava crava-las com um tandem alternando as capturas quer na ninfa quer na seca(tricóptero)
Um dia a recordar....

 

sexta-feira, 11 de maio de 2012

50 000

Este blog,que começou por ser um registo pessoal,e ainda o é,comemora hoje as 50 000 mil visitas!
A todos quantos passaram por cá uma palavra de agradecimento.

seja bem vindo....quando sair deixe uma porta aberta....para quem quiser entrar...

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Fiscalização

Este ano é já a segunda vez que sou fiscalizado pelo SPNA,ambas no rio Mouro.
A primeira,logo no início da época,por dois jovens agentes que por entre dois dedos de conversa nem a licença quiseram ver.
À uns quinze dias voltei a ser fiscalizado desta vez por 3 veteranos que depois de verificarem os documentos amavelmente acederam a uns 30 minutos de conversa e uma fotografia de praxe.

Tive oportunidade de saber qual a estratégia desta unidade em termos de fiscalização e ouvir aquilo que já esperava-não há recursos suficientes, principalmente humanos,para por cobro a tão grande área de rios.
O esforço destes,poucos,agentes é de realçar,confidenciando-me  que passam muitas horas de vigilância em pontos estratégicos,mas quando chegam ao suposto local da infracção já o infractor tem se posto a andar. 
 

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Como referia o meu amigo Mário Ferreira  neste post,este foi sobretudo um encontro onde a camaradagem ,o convívio ,a gastronomia  e alguma politica foi  o que mais imperou.

Reuniu-se assim cerca de 40 pessoas entorno da pesca e de algumas iguarias gastronómicas,como por  exemplo umas excelentes barriguinhas de porco preto,uma divinal posta Barrosã,um cabritinho  mamão,com a assadura no ponto,não podiam faltar os famosos rojões à Minhota,moélinhas,salgadinhos etc...o presidente da Câmara de Monção,Dr José Emílio,não se esqueceu das barriguinhas de freira,o Vice presidente da Câmara de Vouzela,Eng. Rui Ladeira fez jus aos famosos pasteis da terra,o pessoal de Guimarães não deixou os créditos por mãos alheias e lá apareceram os famosissimos pão de Ló,de vinho então nem se fala,por entre verde de Mondim,do Eng,Mendonça,e o maduro do DR,Arlindo Cunha(ex,ministro da Agricultura)venha o diabo e escolha....
Houve musica e discursos.
Nos discursos alertou-se para a necessidade imperiosa de se criarem condições de uma pesca sustentada,a necessidade de criação de novas regras de atribuição de alvarás,a criação de um sistema on-line de obtenção de licenças diárias entre muitos outros problemas....    

De entre o rol de ilustres presentes,destacava-se o Sr. Secretário de estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Eng.Daniel Campelo.
Para mim já não era  surpresa pois já conhecia o Sr Secretário de Estado à longos anos e sabia de seu gosto pela pesca da truta.
Claro que eu aproveitei para,numa conversa informal,saber a sua opinião sobre dois dos mais polémicos dossiers que estão sobre a sua tutela-as taxas de visitação e a pesca dentro do PNPG.
Sobre a primeira mostrou-se irredutível e foi-me dando a entender que não haverá retrocesso por parte do governo,não se mostrando sensível à mediatização e protestos e manifestação dos pedestrianistas alertando-me mesmo de que não se prevê qualquer alterações.
Sobre a pesca dentro do Parque,aí sim,houve uma grande abertura tendo me dito que já criara uma comissão de acompanhamento para a revisão dos pontos que mais divergem e aconselhou mesmo a união dos pescadores para a criação de mais um documento a apresentar no Ministério.Como é sabido foi já entregue um primeiro Documento com uma proposta com vista à regulamentação destas áreas.       

Por fim agradecer a todos quantos estiveram presentes e começar a trabalhar já na próxima edição....





sábado, 5 de maio de 2012

Concessão do rio Coura

Não visitava a concessão do Coura á já uns bons anos.
Não porque ela não seja boa ou bem gerida,mas porque não me desperta muito interesse.
Levado pela curiosidade de lá se realizar uma das provas do campeonato Nacional de pesca á pluma  no lote 3,tentei assim pesca-lo.
Tive azar com o tempo,pois foi apanhado por uma tempestade de granizo,trovoada,temperaturas a descer consideravelmente e rio a subir,obrigado-me assim a abandonar a jornada prematuramente.
Nas cerca de 1.50h ainda cravei 2 trutas á ninfa mas a impressão de que fiquei é que,nas condições ideais,será um dos melhores troços e com boas trutas.
Algumas fotografias,


sexta-feira, 4 de maio de 2012

Curso de iniciação de pesca á pluma


O site RB Flys  
Levará a efeito,dentro em breve,um curso de iniciação de pesca á pluma.
Esta é sem duvida uma excelente oportunidade  para aqueles que se querem iniciar nesta arte.
O curso está muito bem estruturado,com a divisão em três partes distintas e podem ser consultadas aqui


quarta-feira, 2 de maio de 2012

II Encontro Nacional de pescadores de trutas



2º Convívio Nacional de Pescadores de Trutas




2º Convívio Nacional de Pescadores de Trutas

Palavras para quê, meus caros?? Foi em grande!! Neste momento em que vos falo, o 2º Convívio Nacional de Pescadores de Trutas já era!!
Mais uma vez, foi uma grande ocasião para convivermos e desfrutarmos da excelente camaradagem que este nosso desporto nos proporciona. Com quase três anos em cima, este site, em parceria com os blogs Trutas e Serras e o Ninja Matrix, conseguiu juntar um grupo bastante interessante de entusiastas da pesca à truta e entidades oficiais. Depois de um período de inscrição online, onde registamos cerca de 13 participantes, terminamos o convívio com mais de 30 pessoas. Um excelente número que ficou muito perto dos 37/38 que eu e o João tínhamos falado, há mais de três semanas.
Uma parte significativa dos participantes foi alvo de convite directo. Era importante dar visibilidade a este evento, pois estamos num ponto crucial de viragem para o futuro da pesca à truta em Portugal, e como tal resolvemos juntar numa mesma mesa, alguns dos protagonistas com maior poder e reputação nesta área. Assim, foi com enorme prazer que registamos as seguintes presenças oficiais:
– Engº Daniel Campelo – Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural
– Prof. Arlindo Cunha – Ex-Ministro e ex-Eurodeputado, actual Presidente da CVR Dão
– Dr. José Emílio Moreira – Presidente da Câmara Municipal de Monção
– Engº Rui Ladeira – Vice-Presidente da Câmara Municipal de Vouzela
– Engº Mendonça – Ex-Presidente da Câmara Municipal de Mondim de Basto
– Sr. António Ferreira – Presidente da Junta de Freguesia de Campia
– Drº Helder Filipe – Presidente da JSD de Famalicão
– Drº José Arieiro – JSD Alto Minho
Tal como esperado, o convívio para os pescadores de trutas começou por volta das 9 horas. O Parque de Merendas da Nossa Senhora dos Passos estava em excelentes condições, devidamente limpo e vedado (aqui o nosso agradecimento especial para o Presidente da Junta de Freguesia de Merufe). Quando chegamos, já estavam alguns entusiastas à nossa espera e rapidamente começamos a preparar o material para o petisco. Iríamos começar com um entrecosto na grelha, rojões, rissóis e a típica broa de milho de Campia. Mas que broas icon smile 2º Convívio Nacional de Pescadores de Trutas Duas autênticas rodas de carros de bois, que mais que chegaram e sobraram para as entradas!!
2º Convivio Nacional de Pescadores de trutas 2º Convívio Nacional de Pescadores de Trutas
Depois da abertura de hostilidades gastronómicas, que ainda demorou uma horita, lá começamos, a muito custo icon smile 2º Convívio Nacional de Pescadores de Trutas , a preparar a faina. Como já era domingo, as minhas expectativas para a pesca não eram muitas. Sabendo do Convívio, certamente que muitos dos pescadores da zona, que até não são nada invejosos icon smile 2º Convívio Nacional de Pescadores de Trutas , já nos tinham espantado as trutas, para não termos o trabalho de as tirar da água. Aliás, o próprio João Dias (o meu parceiro da organização) já tinha dado uma ajuda na sexta-feira icon smile 2º Convívio Nacional de Pescadores de Trutas Assim, estava tudo preparado para darmos uma pequena volta sem grandes stresses, onde o que interessava era ajudar à digestão do petisco para preparar o estômago para o almoço.
Portanto, a pesca nada deu. Foi claramente uma sessão de pesca sem morte, onde todos os exemplares foram devolvidos à água. Registaram-se algumas capturas, mas quase todas elas sem o tamanho mínimo. O tempo curto para a sessão de pesca (cerca de 1 hora) e o comportamento assanhado das trutas, também não permitia mais!!
Perante a ineficácia das nossas amostras, havia que voltar rapidamente ao local de combate! À nossa espera estava um repasto “colossal” com carne barrosã, costelas, barrigas, cabrito, cebolinhas de Mondim de Basto, vários pães de ló, pastéis de Vouzela, suspiros de nós … Do vinho, nem dá para falar, tal a variedade e quantidade de garrafas disponíveis; Quinta dos Curvos, Ladeira da Santa, verde do meu amigo José Pintalhão, etc. Sede não se passou e ainda circularam algumas garrafas de whisky e de licor de murta.
2º Convivio Nacional de Pescadores de trutas 2 2º Convívio Nacional de Pescadores de Trutas
Para animar as hostes, ainda tivemos uma performance musical organizada pelo Dr. Vasconcelos e companhia, que muito gentilmente trouxeram a sua viola e harmónica. Foi um momento alto em termos culturais, que ajudou a animar ainda mais um clima de convívio que já estava com muito bom andamento.
Após cerca de 2 horas de repasto e convívio, chegou finalmente ao momento de se fazerem os discursos oficiais. A liderança pertenceu ao Sr. Presidente da Câmara Municipal de Monção que congratulou a organização pelo sucesso da iniciativa e teceu algumas considerações preciosas sobre a sua visão para o futuro da pesca à truta e ao salmão no concelho de Monção. Uma visão que nos pareceu bastante moderna e com capacidade para promover a preservação destas espécies emblemáticas.
De seguida, houve uma intervenção do Prof. Arlindo Cunha para abrir as hostilidades em termos de mensagem política para os órgãos centrais, que foi posteriormente aproveitada pela organização. Eu e o João Dias tivemos a oportunidade de agradecer a todos pela presença e de tecer algumas considerações sobre o que esperamos para o futuro da pesca à truta em Portugal. A ênfase foi posta na necessidade de voltarmos a prestar atenção aos pescadores e criar condições para que a pesca volte a ser valorizada como um recurso turístico de alto valor acrescentado, especialmente em zonas protegidas. Também foi posta em causa a actual lei da pesca que nos parece totalmente desadequada às exigências da nossa classe.
Com base neste desafio, surgiu a intervenção do Sr. Engº Daniel Campelo. Depois de uma visão institucional, defendendo a pesca como um desporto com forte capacidade para gerar valor acrescentado em termos de turismo e coesão territorial, passou a apresentar as linhas gerais daquilo que antevê para o sector. O foco do seu discurso incidiu na necessidade de transferir poderes nesta matéria, da autoridade central para os municípios, por serem as entidades com maior conhecimento do terreno e das especificidades de cada massa de água. Como tal, brevemente devem existir novidades em termos do modelo de gestão da pesca em águas interiores.
2º Convivio Nacional de Pescadores de trutas 3 2º Convívio Nacional de Pescadores de Trutas
Com o encerrar dos discursos, começou-se a criar o clima para a desmobilização. Ainda fomos vários os que ficamos para trocar algumas impressões e experiências sobre a pesca à truta, mas a maioria teve que se fazer à estrada para tratar de outros compromissos. Alguns ainda resolveram revisitar o rio Mouro, por se acaso, a ligeira chuva que começou a cair, tivesse um efeito benéfico sobre as trutas. Alguns pararam no Vez a caminho de casa e tiveram sorte, já que saíram umas trutitas!!
Enfim, coube-nos a nós tratar de arrumar tudo com imenso gosto, pois tínhamos cumprido com o prometido. Não queria terminar sem deixar uma palavra muito especial para a organização, João Dias e Miguel Pereira, e para os que mais de perto colaboraram connosco durante o evento, nomeadamente o “grande” Manuel Rocha (aka velho), o Rui, o Hélder Filipe e o José Arieiro. E a todos, o meu muito obrigado por terem vindo e terem feito desta iniciativa um sucesso!!
A ver se para o ano conseguimos reeditar ou melhorar esta iniciativa!
Um abraço e bem haja a todos icon smile 2º Convívio Nacional de Pescadores de Trutas
(texto e fotografias da autoria do ©DR,Mário Ferreira)