sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Para quem pensa fazer a abertura no Neiva

As condições do Neiva eram no dia de hoje excelentes para quem pensa nele  fazer a abertura .Caudais muito bons para a prática de spining,águas claras,correntes não muito fortes e temperaturas agradáveis.





terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Augusto Canário


Não escondo a enorme paixão que tenho pela concertina.

Ao criar uma rubrica de amigos das concertinas neste espaço,onde era suposto se abordar questões relacionadas com trutas e serras,é apenas para prestar um tributo modesto a uma serie de amigos.

Sou um tocador medíocre mas tenho na minha lista de amizades variadíssimos amigos exímios executantes deste instrumento e com muito talento.

A concertina faz parte integrante da cultura minhota e esteve em vias de se perder,muitas das vezes foi substituída pelo acordeão,muito mais versátil,no reportório do folclore Alto Minhoto. 
Hoje a concertina é o cartão de visita na cultura Minhota,raras são as casas no Alto Minho que não possuem uma concertina.Para isso muito contribuiu o Augusto Canário na divulgação e incremento do  ensinamento deste tão tradicional instrumento.

Augusto Canário é um autodidacta,muita gente não sabe mas deve-se a Ele e à APPCDM(onde é professor) muitas das figuras que aparecem nas mais importantes romarias minhotas,os chamados GigantonesVer aqui.Ao par disso é também exímio executante de vários instrumentos tradicionais,como o Cavaquinho,Viola Braguesa,Gaita de Foles,Violão,Bombos,Sanfona,contudo é na Concertina que ele mais se destacou,muito pela grande paixão que nutre por este instrumento.

Tive o privilegio de ser seu aluno de concertina,ainda nem sequer havia a febre das concertinas(hoje arraial que se prese não pode faltar uma concertina) e posso afirmar que o Augusto Canário,além de um excelente Professor é também um homem com uma sensibilidade incrível a nível humano,talvez fruto da sua vivência profissional,pois trabalha com deficientes.

Tem já uma vasta obra discográfica editada com discos de Ouro e vários de Platina.Faz-se acompanhar por músicos do que de melhor há no Alto Minho.

É com sincero sentido de grande amizade que faço este post em  tributo ao meu grande amigo,já de longos anos,Augusto Canário.

Um abraço a todos os elementos do grupo,por quem também tenho profunda amizade.

Augusto Canário
Miranda
Naty
Zé Frade
Rui Jaco
Tio Zé da Martinha
Rui Lopes
Júlio Viana
Jorge Viana
João Ferreira
Quim Pereira
Sérgio

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Campanha de sensibilização



Com o aproximar da abertura da época da pesca à truta é tempo de consultar editais,ver novas concessões ou simplesmente visitar o estado actual dos caudais dos rio truteiros.

Contudo surpresas como esta não aparecem todos os dias.
Fazer aquilo que o Miguel Pereira fez,só está ao alcance de muito poucos.Por iniciativa própria e da junta de Freguesia de Campia fez um folheto onde sensibiliza os pescadores do Alfusqueiro,e não só, para o cumprimento das regras da pesca e o tão difícil que é o desenvolvimento das trutas fário em estado selvagem.

Tive já o prazer de pescar ao lado do Miguel,um jovem muito responsável que defende e tenta preservar um Rio fabuloso como é o Alfusqueiro,nada dado a secretismos(que é muito comum entre pescadores de trutas),com um espírito de total abertura a diferentes tipos de pesca,é um prazer ter amigos assim....
   

    
                                    Clicar para ampliar
Folheto de autoria de©Miguel Pereira

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Nascente do Rio Homem

Numa recente incursão pelo Gerês profundo tive oportunidade de fotografar a nascente do Rio Homem.Nasce em Lamas do Homem,uma zona da serra agreste,ladeado de prados e alguns currais....
Fotografias©João Dias

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Rios e Ribeiras dentro do Parque Nacional Peneda-Gerês


Tenho vindo a receber vários e-mails  a pedir informação sobre os rios que nascem e ou atravessam o Parque Peneda-Gerês e o seu respectivo enquadramento legal no diz respeito à pesca desportiva de trutas.

Nasci de facto no sopé da Serra e desde muito novo que pesco trutas dentro do Parque .Pesquei na década de 80,quando ainda não se falava no ordenamento do Parque  e todas as zonas eram livres,existindo apenas o lote 2 do Cabreiro que entrava pelo Ramiscal,onde era já Parque e estava concessionado pela então DGF.Hoje não é assim e os sucessivos planos de ordenamento ver aqui do Parque tem vindo a alterar consecutivamente toda a área e linhas de águas inseridas dentro do Parque.

Lembro-me do enchimento da barragem de Vilarinho da Furna e a romaria que era pelo fim de Maio e todo o Junho para pescar as bogas e escalos que subiam o Homem para desovar,embora a lei não o permitisse.De em vez em quando lá se agarrava um truta com 2/3 quilos que abocanhava a boga ou escalo com ataques ferozes.

Existem inúmeras linhas de água por todo o Parque que não vou mencionar porque estão integradas em ZPT,e não tem relevância em termos de recursos truteiros, apenas vou referir  as que considero mais importantes.

Começando pelo coração do Parque,o Homem é o centro de todas as ribeiras que nele desaguam,nasce em Lamas do Homem e atravessa todo o coração do Parque.É na sua bacia que está a barragem Vilarinho da Furna ,tendo como principal afluente,a montante o Rio de Leonte,que por sua vez é também formado por uma series de Ribeiras  mas sem relevância em trutas.
A pesca desportiva a montante do paredão da Barragem,ou seja,quer no Homem quer em todos os afluentes,incluindo o Rio de Leonte,está proibida, pois são parte integrante de uma ZPT.

Estes rios nas décadas de 80 estavam densamente povoados de trutas,embora não tivessem exemplares grandes,por se tratar de rios de alta montanha,mas as condições favoráveis e a pouca pressão de pescadores faziam deles autênticos paraísos.As suas trutas são prateadas,com  pintas de um vermelho vivo,e em locais de grandes gargantas quase não apresentão   pintas e a coloração passa a esverdeada.

Ainda no Gerês,temos o Rio de Fafião,concessionado ver aqui ou Toco,como os antigos lhe chamam ,o Rio Arado,o Rio do Gerês ,o Rio de Freitas,ou Rio De Rodas ou ainda Rio do São Bento Da porta Aberta,concessionado ver aqui .

Temos o Cávado, com a concessão de Montalegre ver aqui e grande parte livre,incluindo a Barragem de Paradela com grandes exemplares autóctones,a Barragem de Salamonde,a Barragem da Caniçada com muitos exemplares de Truta arco-íris,muito por via dos viveiros existentes nesta massa de água,mas também com muitas fário.O Rio de Pitões da Junias,ainda um diamante por descobrir muito devido ao difiçil assexo.

O Rio Froufe,Rio Caçarelha,Rio da Ermida,Rio de Germil,Rio Tamente,nascem todos na Serra Amarela e correm em direcção ao grande Lima,todos eles com um importante património truteiro,mas alguns deles muito perigosos de se fazer,é necessário,a quem os visita pela primeira vez,ter a noção do enquadramento no terreno,pois as condições meteoro lógicas mudam frequente mente,principalmente no Caçarelha,Germil e Ermida.

 Na Peneda,temos o Rio da Peneda,concessionado ver aqui, o Pomba,o Ermelo,o Adrão,concessionado ver aqui ,o alto Vez concessionado--- o Cabreiro,a Barragem de Touvedo concessionada,só em parte ver aqui , a Barragem do Alto Lindoso  e o Pai de todas estas linhas de água,o grande Lima.Não me esqueci do Sardinha ,livre,e o  Cabril,fechado pois integra uma  ZPT,e nasce na Serra Amarela(foi seriamente afectado pelo incêndio deste Verão).

 Em Castro Laboreiro temos o Rio de Castro Laboreiro,concessionadoVer aqui ,outrora um rio densamente povoado.Hoje,passa pela amargura de ser um dos rios menos povoado  em consequênçia da pressão que foi sofrendo ao longo dos anos por parte de Portugueses e Galegos.Lembro tempos em que Castro era uma povoação isolada e o assexo era difiçíl,talvez o segredo de este rio estar na época muito povoado e com bons exemplares.

Não me esqueci do Ázere ,também ele concessionado,ver aqui ,que nasce no Soajo,o Rio da Abadia (Bouro)também  nasce na Serra do Gerês,em  Santa Isabel do Monte,o Rio Cabaninhas,ou rio das Águas do Fastio,muito polémico em relação ás descargas desta unidade de engarrafamento de águas,pouco conhecido mas muito importante,com trutas lindíssimas.

  Provavelmente terei esquecido algum,e como este espaço pretende ser de todos e a opinião,sugestão ou critica está sempre em cima da mesa,quem por ventura quiser acrescentar mais algum ou corrigir lapsos  pode fazê-lo sem qualquer tipo de problema através da caixa de mensagens.

Texto e fotografias©João Dias

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Por terras da Galiza

Zé Moreira será provavelmente um dos portugueses que melhor conhece a Serra do Xúres.Nutre por ela,e suas gentes,um indisfarçavél  carinho e profundo conhecimento.

Já não era a primeira vez que caminhava com  o Zé Moreira por estas paragens,e desta vez tínhamos traçado um objectivo;chegar ao sopé da Nevosa pelo vale do Rio de Lóbios.

Não conseguimos lá chegar apesar de caminhar-mos a bom ritmo,acabamos  por nos  ficar pelo  sopé do Altar de Cabrões,com a Nevosa em frente....tão perto e tão longe que estava o topo da Serra,mas a racionalidade imperou,hora já avançada e tempo instável foi o bastante para abortamos a sua ascensão.Optamos por descer e fazer o regresso pela sempre mítica  mina das Sombras.
Fomos ainda brindados por uma víbora,uma águia que patrulhava os céus da serra e alguns garranos.

Fica a memória de mais um dia fantástico na companhia de 2 grandes amigos....


Algumas fotografias....









Vivoras em Fevereiro????


certamente lixo Português em território espanhol....enfim...

Fotografias©João Dias

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Leonte/Mourô/Carris de Maceira

Fantásticos dias de sol com temperaturas propicias a boas caminhadas,boa companhia e lugares fantásticos,uns já clássicos outros nem por isso,estes foram os ingredientes para mais uma visita ao coração da serra do Gerês

Aqui fica o registo de algumas fotografias.....








grande mariola do Mourô....
Teixeira











outras formas e maneiras de ver o Gerês